Carlos não é o único da família Bolsonaro que foi alvo de polêmicas nos últimos dias. Em meio a cortes no orçamento e crises diplomáticas, os filhos do presidente colecionam atitudes questionáveis

O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, reagiu à fala desta segunda-feira (9) do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e disse que ele e os irmãos, Flávio e Eduardo, assim como o pai, Jair Bolsonaro, formam uma “família de ditadores”. “É hora dos democratas do Brasil darem um basta. Chega”, disse, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Em uma sequência de tuítes, o vereador sugeriu uma ruptura democrática para que “a transformação que o Brasil quer” aconteça. Em outras palavras, pregou a ditadura. No entanto, Carlos ficou surpreso com a indignação que sua fala gerou. “Agora virei ditador? Pqp! Boa noite a todos!”, escreveu. Para o tuiteiro da família Bolsonaro, como já é de praxe no discurso da família, seu pai vem atuando para desfazer “absurdos” de governos anteriores, mas deixou claro que acredita que a mudança real não virá através da democracia.

Apesar da fala polêmica, Carlos não é o único entre os filhos do presidente com atitudes que chamam a atenção. Pelas redes, bolsonaristas cobram o endosso de Flávio Bolsonaro à CPI da “Lava Toga”, que pretende investigar membros do Supremo Tribunal Federal (STF), promovida por setores do bolsonarismo. O presidente da legenda, Luciano Bivar, e o senador Flávio estariam pedindo que parlamentares retirassem seus nomes da solicitação de abertura da CPI em prol da “governabilidade”.

Enquanto isso, Eduardo trazia para si seus próprios holofotes. Em visita nesta segunda (9) ao pai, Jair Bolsonaro, que se recupera de uma cirurgia no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, o deputado publicou uma foto em seu perfil no Twitter, na qual ele exibe uma pistola na cintura. Acompanhando a imagem, Eduardo agradeceu a equipe médica e a todos que “oraram, rezaram, ou de alguma maneira enviaram energias positivas”.

Fonte: Forum